quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

O Gênio e a Bailarina

...E enquanto a mal humorada senhorita preparava-se para o seu merecido descanso noturno, dirigindo-se até a geladeira a fim de tomar um copo de leite desnatado-light-selita, rito diário praticado antes de ir deitar-se, percebeu um estranho cheiro de mirra provindo da prosaica caixa de leite diet, cujo tamanho tomava uma proporção assustadoramente gigantesca, mal cabendo no espaço da cozinha de sua casa...
...
Era o prenuncio de um estranho milagre, desses que ocorrem de baixo dos narizes dos senhores míopes, assim, desnatadamente falando....
E então...eis que surgiu um glamoroso Gênio da caixa de leite desnatado-light-selita, cuja aparência assemelhava-se a uma mistura de Antônio Banderas, Johnny Deep e Gael García ; não se sabe muito bem como, nem por quais métodos naturais tal entidade pode se materializar naquela cozinha tão trivial, naquela quente e entediante noite de verão....
...
Seria realidade? (...mas do que vale a realidade diante do sonho de uma noite de verão?)
...
A missão do Gênio-sexy-simbol-da caixa de leite desnatado-light-selita na terra, nada mais era que a de realizar um desejo de seus "escolhidos", indivíduos dotados de má sorte no jogo e sobretudo no amor (coincidentemente, atual condição da senhorita do nosso conto):
...
- Diga-me, querida....faz de conta que tua vida é um sopro...o que tu queres de mim?
...
E a senhorita, com olhos de esperança e malícia, respondeu:
...
- Quero aprender a voar....para fugir do tédio, do tempo.... e da tristeza.... eternamente....
...
E assim, depois de muito pensar, o Gênio tranformou a mal humorada senhorita em uma lindíssima e mal humorada bailarina clássica; que, apesar de continuar mal humorada, estava fadada à felicidade de ser eternamente superior ao tempo, ao tédio, e à tristeza e a qualquer outra enfermidade particular ao mundo dos adultos ....
...
Isto porque, todas as bailarinas são capazes de voar para onde almejam, quão longe anseiam....
...graças a seus pés feios e deformados por bolhas de sabão.
...
Fim.

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

ADIVÚDANDO....

Meus amigos de infância e adolescência estão formando, casando, tendo filhos (casando ou não casando), ganhando dinheiro, viajando para lugares excêntricos......
PERGUNTA: O que a vida me reserva? (existe uma "reserva", não?)

Formatura do Joséllio

Los primos
Eu


Homenagens..

Na Colação

Eu, Pai, Tia Elia, Jo, Vó, Tio, Mayara (Missa)

Eu, Pai, Mayara (Missa)
***********
***********
*********************
Essas são algumas das fotos da formatura do meu querido primo Joséllio....

Fiquei muito feliz por ter participado dessa linda festa; e também, por ter acompanhado um pouco da vivência do meu primo e o caminho que o trouxe até aqui.

==

Meu professor-orientador disse-nos uma vez que o que constrói a nossa história são esses momentos chave: nascimentos, mortes, formaturas, casamentos.....como se tais eventos fossem capazes de resumir um pouco da nossa história.....pois bem, é obvio que o cotidiano é uma dádiva e vc deve fazê-lo bem feito, mas não há com negar que essas datas nos enchem de esperança e vontade de futuro.....
===
Como é bonito ver um jovem, da idade do meu primo, com tanta vida e oportunidade pela frente.....Oxalá todos os jovens que conhecemos tivessem tido a mesma oportunidade que nós temos nas mãos......Alguns deles, porém, podem ter suas vidas modificadas, através do trabalho daqueles que tiveram a tal "oportunidade..." (palavrinha cretina essa....).....
====
sobre festas....
Acho que sou um ser festivo por natureza....não é à toa que fui fabricada no carnaval........
Foi uma festa linda, de fato........
Como disse Clarice: "O que me mata é o cotidiano. Eu só queria exceções"
===

Felicidades e Sucesso Joséllio!
Você merece!

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Minha Casa de Orates....

(Frida Kahlo)

Leitores de Plantão,

Minha vida familiar está um caos; sei que gosto de caos e que tenho uma facilidade invejavel de adaptação em tais circunstâncias....(até porque eu nasci de uma situação caótica....), mas...confesso a vocês que as coisas por aqui estão difícilimas....há dias em que sinto uma imensa vontade de explodir....mesmo.....ou sair correndo para qualquer lugar do mundo.
Queria ter dinheiro...
+++
Apesar disso, as coisas estão bem, no meu infinito particular: agora estou saboreando as festividades da formatura do meu primo Josellio. Hoje tivemos a missa; confesso que acho missas de formatura chatíssimas, cansativas.....e um pouco monótonas...Em duas delas que participei, houve a exposição e adoração ao "Santíssimo"...bem, me pergunto o porquê disso, para uma celebração que por si só é tão cansativa....alguém sabe me dizer??? Além do mais, para que adorar o santíssimo? O rito eucarístico em si já não é a propria "adoração" do corpo e sangue do cristo?? Nao é o suficiente?Existe uma comunhão, gesto, simbolo, rito maior que isso? e mais profundo? Sei não hein...
Sei que estou numa fase herege: vez ou outra, aproveitava para dar uma voltinha no quarteirão, na praça, acompanhada pelo meu pai, o herege-mor aqui de casa....(e com o melhor coração de todos que já conheci em 24 anos de vida....), mas....foi bacana.....é bom ver as famílias chorando ...abraçando...se amando...isso me toca!
+++
Em uma das fugas da missa, aluguei um filme chamado "Dançar", fala sobre Tango...vamos ver se é bom. Há alguns dias assisti o filme "Frida" e também "Diga a Ela" do Almodovar; recomendo os dois!! "Diga a Ela" é fantástico....E "Frida" é sensacional......
Pergunto-me se aquela mulher viveu de fato todas aquelas histórias, e com tamanha intensidade.....Acho que todos deviamos viver assim: Intensamente...afinal de contas....o amanhã é uma miragem, apenas.....ele pode não existir, ou se distorcer diante dos olhos de quem a única motivação interior é esperá-lo....
+++
Sobre meus dentinhos.....parece que está tudo bem....
Há tempos iniciei um tratamento para a des-inflamação da minha gengiva, e, pelo que minha dentista me disse, como agora minha gengiva está no "lugar correto", a minha "abertura" nos dentes ficou mais visível, ou sei lá, "surgiu"....nada que uma resina branquinha (de criança mesmo.....) não possa concertar......
+++
Minha avó Apolonia tem passado uns dias aqui em casa; gosto muito dela....
Ela não é o tipo de avó convencinal, mas.....é tão amorosa com o meu pai que isso só alimenta mais a minha vontade de ser mãe, e também avó.....heheh......
Deixe-me voltar para a minha casa de orates, porque o caos me chama.....
+++
Beijo-não-me-liga!
(Porque até certos telefonemas, ultimamente, têm sido suficientes para me irritar! hehe)
+++
Aproveito para parabenizar todos os formandos...(como se eles lessem essa bagaça né....mas vamos lá):
-Joséllio;
-Marina;
-Clara;
-Doris;
-Tarcila;
-João Felipe;
-Vinícius da Letras;
-Amiga Laís;
-Drielly;
-Pablo;

-Alexandra Medina;

-Hermano...



E os amigos Vinícius Zacarias e Paulinho, que formaram semana passada....

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Mau humor bucal em tempos não viçosos...


Queridos Leitores,
As minhas férias até que tem sido interessantes, se levarmos em consideração o fato de que continuo em Viçosa, que de viçosa não tem nada.....
Tenho lido muito....assistido muitos filmes; tenho feito uma dieta cujo nome é "Dieta da Amanda"; isto é, uma série de infrações contra o meu metabolismo, mas que hão de me fazer perder peso.....(não copiem, por favor...). Também tenho encontrado muitos amigos: Há alguns dias tive a honra de participar da colação de grau do meu amigo Vinícius, e do casamento do meu grande amigo Marcelo Helvécio....ou Helécio Marcelo? (como o mesmo costumava dizer em seus momentos de loucura...); Em breve, irei a formatura do meu primo Joséllio Cavadeira, o pacote completo: missa-colação-baile!!!!! (uhu!!!!!!).... Pretendia dar uma passada em BH, a fim de rever uns amigos e visitar minha prima, mas...tenho gastado tanto dinheiro que acho que não há de rolar agora.....De qualquer forma, o carnaval está garantido: Este ano, irei para DIAMANTINA!!!!!!!!
***
Sobre o meu mau humor desses dias....
Bem, Há uma fala da Clarice Lispector assim: "Até cortar os próprios defeitos pode ser perigoso. Nunca se sabe qual é o defeito que sustenta nosso edifício inteiro." Acredito nisto piamente; sei que tenho inúmeros defeitos, mas sei que muitos deles são parte de mim....
Acho que sou uma mulher bonita....modéstia parte. Acho que a minha beleza é ...diferente....especial....(não leitores! isto não é um eufemismo para baranga! haha)....gosto do meu cabelo, apesar de aderir a uma chapinha de vez em quando, como toda a mulher; gosto muito do meu cabelo....mesmo....; gosto dos meus olhos....; das minhas pernas...etc...etc..... Gosto de mim.
Mas, como nem tudo são flores, desde a tenra idade que sempre tive problemas com meus dentes....já usei aparelho....de três tipos diferentes....até que cheguei num resultado que me agradou, de certa forma.... (embora ainda não seja o ideal)...e desde então, passei a assumir o sorriso Amanda de ser....(detalhe: sabe o Marcelo Camelo? Pois bem...ele disse ao meu ex namorado, quando fomos ao seu camarim - do Camelo, lógico - que meu sorriso era lindo, que estava impressionado, que era super expressiva....ai ai.....acho que estou disperdiçada por aqui...haha)
O problema é que há pouco tempo, durante o meu tratamento dental...(de rotina, e que está nos custando o olho da cara, sendo este um dos motivos da minha raiva desta semana....), após uma limpeza dos dentes, dias depois, notei que estou com uma pequena abertura no dente da frente! Imaginem só leitores...é uma pequena, micro abertura....mal pode ser vista...mas eu sei que ela está alí....sendo que não devia estar! (já que meus dentes sempre foram juntinhos e super brancos, ou seja: parece uma sujeira!....).....
Por que partilho isso com vocês? Bem....este encontro que tive com o meu "novo buraco" (hehe)....tem me causado um sério transtorno...irritação mesmo!!!!!!!!!!! Não posso acreditar que vou ter que "acolher"isso; ou, digamos que eu tenha que usar um aparelho para concertar esse novo "defeitinho"......Eu não quero!!!!!!!!!!!! E nem posso!!!!!!
Gente...que raiva........
Quarta feira irei ao dentista: postarei aqui as minhas novidades bucais, para os curiosos de plantão.....
*********************
Tirando isso, estou num momento de decisões....o que também tem me causado certa irritação, insônia e sei lá o que mais....
O que fazer: continuar morando em casa, com meus pais, ou mudar-me para uma republica? (desejo já antigo....em função de alguns fatores pseudo-temporais....)...Ai ai....gostaria muito de conversar seriamente com ALGUÉM sobre isso; de partilhar essa angustia com algum amigo....mas não rola de ser qualquer amigo.....Então, deixo para depois.
**************************
Mas o saldo é positivo....as coisas estão boas...os tempos são bons.....
Há de passar...esse mau humor bucal.....

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Aos dezesseis....


Há algum tempo, meu professor de Literatura Portuguesa, e atual orientador, contava- nos suas aventuras em Lisboa, lugar de que tanto gosta. No meio de sua fala, ele nos indaga: “Nunca sentiram a sensação de pertencerem a um lugar ou a uma situação, ainda que nunca a tivessem vivido anteriormente?” – Meu querido “prof” usava essas palavras para justificar o estranho enigma de sua vida: conhecia Portugal como a palma de sua mão, inclusive lugares os quais nunca houvera visto.....

Enquanto ele fava sobre essas coisas, tentei me lembrar de algum momento na vida em que eu tivesse encontrado meu quinhão de paz; isto é, a plenitude de sentir e saber que estou no melhor lugar do mundo, berço da minha alma...a “minha Portugal”. Sem muito esforço, recordei-me quando minha amiga Cinthya convidou-me para dar umas voltinhas pelo hospital INCOR, em São Paulo, com um jaleco e um crachá à la estudante “Uspiano” de Medicina....Sabia, de alguma maneira, que ali era o meu lugar.....Estudante da USP? Não mesmo.....Refiro-me sobre a sensação de estar em um hospital.....

Ando muito feliz com a minha profissão. Sei que nasci para ser professora; amo o exercício da escrita, melhor ensinamento herdado de minha mãe; aprendi a amar a literatura, mesmo sabendo que me falta ainda muita disciplina...(porque Literatura é arte e toda arte exige disciplina; disciplina que tenho tentado conquistar nestas férias...), e , penso que se um dia conseguir unir literatura ao estudo de religião, terei encontrado meu objeto de pesquisa.

Fui bailarina durante muito tempo e afirmo que amo a dança clássica...mas o Ballet sempre foi para mim uma fonte de inquietude, paixão, frustração; misto de alegria e tristeza.....

Resumindo, é quando estou dentro de um hospital, e não sei bem por quê, que sou capaz de encontrar uma alegria tão cotidiana e singular que me preenche.

Não faço idéia da primeira vez em que estive num hospital...nem sei se nasci em um. Quando criança, lembro-me de ter visto meu pai internado muitas vezes, e de pedir a Deus insistentemente para que ele fosse imortal, para que ele não morresse ali. Na adolescência, aos dezesseis, acompanhei o drama do meu primo Cleiton e do jovem Rodolfo, um dos meus amores, mas, foi sobretudo com a doença do Cleiton que vivi uma série de experiências marcantes e responsáveis pelo meu “ponto de virada” nesta vida. Fui à última pessoa a ver o Cleiton com vida, na UTI do Incor....a última pessoa.....

Quando cheguei a São Paulo para revê-lo, lembro-me das inúmeras recomendações das pessoas pedindo que não demonstrasse a meu primo sinais de espanto, piedade, ou qualquer coisa do tipo. Ele estava retendo líquido; estava “enorme”....não parecia o Cleiton com quem convivi 16 anos.......(faziam-me crer assim...).

No meio das lágrimas e agitações, respirei fundo e fui vê-lo: e lá estava o “nosso” Cleiton.....Inchado, fraco, ranzinza.....Mas o irmão de sempre, adolescente- “chatinho”-CDF- quatro olhos que sempre fora (tenho uma queda por pessoas chatas...).
Que alegria esse reencontro.....logo após um bom número de palavrões, meu eterno primo-amigo-irmão me diz algo que eu nunca, nunca mesmo hei de esquecer:
- Quando eu fizer o transplante (de coração), é você que vai ficar aqui comigo, porque você não vem aqui para rezar... – disse.
As pessoas chegavam...rezavam...rezavam..longe longe com seus terços infinitos e cheios de véus; mal sabiam que a melhor oração que se pode oferecer a um jovem paciente é nada mais que um pouco de carinho e conversa fiada....jovem é jovem...em qualquer lugar do mundo, do tempo e do espaço.

Depois dessa experiência, lembro-me de ter visitado um amigo com leishmaniose no hospital....Menino gente boa com quem gostaria de ter construído uma amizade mais próxima. E sempre a mesma sensação....de paz e segurança.....

Durante muito tempo busquei um trabalho como voluntária num hospital do câncer, com base nessas duas experiências vividas...(as doenças do Cleiton e do Rodolfo). Nunca consegui....ora porque era muito nova (16 anos...)....ora porque todas as pessoas queriam “cuidar” das criancinhas com câncer...ora porque não era atriz, e sendo assim nunca poderia ser uma “doutora da algria”, por exemplo.

E colecionava todas as revistas sobre doenças sanguineas.....lí inúmeros livros....conheci muita gente boa também....(Sr. Wilson, que gentilmente me presenteou com o seu livro Impacto e a jovem Morena Perez, com quem construí uma pequena amizade virtual e “telefônica” – Morena não está mais entre nós...se contar a vocês como soube de sua partida vocês ficarão arrepiados. Contarei um dia).

Pelo Cleiton, entrei para a Sociedade São Vicente de Paulo, a fim de cuidar das pessoas, como se fazendo isso, ele pudesse sentir que cuidava dele, mesmo de longe....; Pelo Rodolo....assisti a inúmeros filmes....li livros sobre o assunto...conheci gente....visitei hospitais...assisti palestras....busquei trabalho voluntário....rezei o terço diariamente, durante oito meses; pelos dois: doei sangue pela primeira vez assim que completei 18 anos...cadastrei-me como doadora de medula óssea...e, acho que sou uma pessoa melhor....(embora eu reze bem menos ao vinte e quatro, do que quando tinha dezesseis....)

A experiência como Vicentina e posteriormente, já em Viçosa, como voluntária da Casa Assistencial São Francisco de Assis (CASFA) me aproximou de algumas situações “hospitalares” mas de modo muito superficial....Já vi muita gente morrer.....(Grande amiga Dona Ruth.....)...e muita gente nascer.....(Daniel,bebezinho órfão que acompanhei a pedido da CASFA uma noite no hospital...)....e sempre a mesma sensação de paz, como se conhecesse todos os corredores, todos os pacientes, todas as dores dos hospitais. Se fosse espírita, diria que se trata de uma experiência adiquirida em minha vida passada; como não o sou, dentro do que acredito, penso que por algum motivo o qual desconheço, dentro de hospitais a minha “energia” vital(energia que todos nós temos e emanamos de alguma forma...) encontra familiaridade; um lugar para se expandir.
Nunca sentiram nada parecido na vida de vocês? Certamente que sim....

Quando tive a minha crise de TBH, não consigo recordar a minha relação com o cenário hospitalar; os poucos flashs que tenho em mente trazem-me, apesar do desespero para ir para casa, lembranças positivas...vontade de ver os outros pacientes....E de dizer que a morte não existia....

Essa semana meu tio Milton foi internado em função de uma pedra no canal urinário. Passei a noite de ontem no hospital e parte do dia de hoje....e por isso, recordei-me dessas sensações. Já pensei em ser médica, quando tinha 16 anos....Para salvar a vida daqueles que amava....
Hoje eu penso em ser “eu”, Amanda, para “salvar” aqueles que amei do esquecimento eterno...por onde a vida me levar e seja lá a profissão que eu vir a ter....essas pessoas que “perdi” estarão caminhando comigo, bem como certas causas que vez ou outra insistem em tomar a minha voz: “Doação de Medula óssea”, “Doação de sangue”, “Doação de órgãos”, “Direitos de pacientes em estado terminal – como viver dignamente.”

Toda luta vale a pena. Toda. Algumas delas, porém, só são compreendidas muitas lágrimas e tempos depois...
Heberton nasceu no mesmo ano em que o Cleiton: 1988. É um lindo jovem, também um primo querido e que conseguiu vencer uma espécie de leucemia através de um transplante de medula (medula doada por sua irmã e minha afilhada fofíssima Andresa).
.
..Eu estive lá e meus olhos também presenciaram essa luta....

...Rodolfo faleceu em 2003; Cleiton em 2004; Morena em 2005.....
Em 2008, Heberton é transplantado...e hoje vive feliz com os pais em Ervália/MG, piriguetando, andando de jipe e trabalhando com o pai no caminhão deste.......

Não sei a resposta desse mistério que é a vida e dos laços que a gente tece; mas o fato é que uma de minhas vontades, ainda hoje, é a de trabalhar voluntariamente num hospital...não sei como, quando, onde...mas....segundo a minha intuição, esse dia há de chegar....
Amo a Pastoral da Juventude e tudo o que aprendo com ela, dia após dia....
Mas trago essa lacuna comigo....

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Resenha: VOLVER (2006)

Volver (2006) é um filme brilhante que narra a trajetória de Raimunda (Penélope Cruz) e de suas peripécias nos diversos papéis os quais assume: mãe, irmã, sobrinha, amiga, dona de um restaurante....filha. O cenário é uma pequena aldeia em La Mancha castigada pelos ventos do leste, razão do alto indice de insanidade já registrado, além da ocorrência de incendios desastrosos para uma pequena população rustica e supersticiosa...é nesse contexto que se dão as relações entre a peculiar família de Raimunda, afoita por desvendar um segredo já antigo...
Escrito e dirigido por Pedro Almodovar, Volver é um filme atraente, instigante e comovente: consegue unir delicadeza e ousadia, em tons fortes e sensuais típicos dos trabalhos do cineasta espanhol. Com um elenco formado por Penélope Cruz e Carmen Maura, ambas premiadas na categoria de melhor atriz pelo Festival de Cannes em 2006, Volver faz jus as inúmeras indicações e premiações recebidas...Vale a pena conferir!
***
Quem assistiu e gostou (ou não gostou)...deixe seu comentário!

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

1° de janeiro de 2010.....


Feliz Ano Novo queridos leitores!
Bom saber que estamos vivos e juntos nesta nau.....
Viver é muito bom...Oxalá possamos terminar esse ano de 2010 juntos, felizes e com a sensação de missão cumprida!
Vamos lá então?